Blog

Publicado em:26/03/2019

Tuberculose

 

Tuberculose na infância

Mamãe, queria falar com você sobre uma doença muito séria e que também pode afetar as crianças: a Tuberculose.

Isso mesmo. Criança também pode contrair essa doença.

A tuberculose é uma doença infecciosa contagiosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK). É uma doença que ocorre a partir da inalação de gotículas contendo bacilos expelidos pela tosse, fala ou espirro de uma pessoa com tuberculose ativa - de vias respiratórias-, que atinge, principalmente, os pulmões. Mas pode ocorrer em outras partes do nosso corpo, como nos gânglios, rins, ossos, intestinos e meninges-membrana que envolve o cérebro.

A tuberculose se tornou um problema gravíssimo de Saúde Pública global. No Brasil, em 2017, foram notificados 69.569 casos novos de TB, resultando em um coeficiente de incidência de 33,5 casos para cada 100 mil habitantes. Mesmo existindo diversas maneiras de diagnosticar e tratamentos disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), em 2016 foram registrados 4.426 óbitos por TB no país. Isso é assustador.

 

Sintomas

Em geral pode se manifestar com febre, tosse persistente, perda de peso significativa, irritabilidade e sudorese noturna. Algumas vezes, os sintomas podem ser confundidos com outras doenças como pneumonia, asma brônquica, coqueluche ou bronquiolite.

Diagnóstico

O diagnóstico nas crianças é tardio e complexo, pois passa despercebido devido aos sinais e sintomas inespecíficos. Logo, muitas chances são perdidas, tanto para a constatação da doença como para sua prevenção.

Além da análise clínica, existem alguns exames que podem ser feitos: Teste Tuberlínico conhecido como PPD , baciloscopia do escarro para os adultos ou crianças mais velhas que já saibam escarrar, RX de tórax, entre outros.

Nas crianças menores de 10 anos é utilizada uma escala de pontuação onde é levado em conta os sinais clínicos, radiológicos e epidemiológicos para fazer o diagnóstico.

 

Tratamento

                                             

 Em crianças, o tratamento da tuberculose é feito em regime ambulatorial, sendo supervisionado e a base de medicação por um período no mínimo de 6 meses. Deve-se investigar, acompanhar e tratar a família e os contactantes íntimos, quando necessário profilaticamente.

A hospitalização só é adotada em casos considerados especiais, como intolerância aos medicamentos, meningite tuberculosa e complicações graves da tuberculose.

 

►A infância é o período decisivo para prevenir em relação à meningite tuberculosa. A principal prevenção é através da vacina, que se chama BCG, ao nascimento.

*Atenção: em recém-nascidos, cuja tendência à infecção fica muito maior sem vacinação da BCG, a doença torna-se fatal.

 

Mamãe, se atente ao calendário de vacinação do seu pequeno e a qualquer sintoma aparente.

 

Com carinho,

Dra. Jack

►Lembrando que estou dando dicas, se tiver alguma dúvida agende uma consulta.