Blog

Publicado em:04/07/2018

Asma

⇒Mamãe, vamos desmistificar a temida Asma?

O que é asma ?

É uma doença respiratória, crônica, conhecida também como “bronquite” acomete cerca de
20% da população mundial, é caracterizada por inflamação das vias aéreas, levando a diminuição
do calibre destas vias dificultando assim a passagem de ar.
Cerca de 4 pessoas ao dia morrem pela Asma. E apenas 32% aderem ao tratamento.

O que pode causar a asma?
A asma é uma doença heterogênea, ou seja, pode ser desencadeada fatores ambientais,
como: exposição à poeira, poluição, pelos de animais, ácaros e fungos, substâncias químicas,
tabagismo, alergias alimentares, à variações climáticas e infecções virais como os resfriados
comuns.E tem alta associação com histórico familiar de asma, rinite, dermatite e obesidade.

 

►Sintomas: tosse, chiado no peito, dificuldade para respirar, respiração rápida e curta, fadiga
constante e desconforto torácico.


Quando suspeitar?
Falta de ar ou tosse ao praticar atividade física (“cansa fácil”, “para pra respirar”)
Tosse recorrente no período da noite.
Tosse ao rir e chorar.
Idas frequentes ao PSI por falta de ar e chiado. Onde é prescrito ciclo de inalações com
berotec/atrovent e corticóides.

Época do ano em que mais surgem casos: outono e inverno, pois o clima está frio e o tempo
seco.

Diagnóstico

É clinico como foi dito anteriormente. Crianças maiores de 8 anos podem realizar a Prova de Função Pulmonar (espirometria), mas o exame normal não exclui a doença. Há alguns exames laboratoriais que, também,  podem dar indícios. O Pediatra precisa estar atento para diagnosticar, iniciar o tratamento e se necessário, encaminhar ao especialista.

                                           

Tratamento

Visto que não existe cura, e sim controle, o objetivo principal é melhorar a qualidade de vida da criança, controlar os sinais, sintomas e fazer o uso das medicações de forma contínua. O médico irá indicar o tratamento ideal para cada caso. Atualmente existem diversas formas de medicações em sprays, pó, discos, entre outros.

O que os pais podem fazer para ajudar?

Os pais podem contribuir com a higiene ambiental: evitar o uso de carpetes, cortinas,
tapetes, o contato com ursinhos de pelúcias, roupinhas e paninhos com pelos, perfumes, produtos
de limpeza com cheiro forte e a exposição ao tabaco. Deve-se agasalhar bem as crianças, estimular a prática de atividade física e manter a vacinação em dia.

Situações de emergência: dificuldade para respirar “respiração rápida e ofegante”, “costelas
afundando”, narinas “abrindo e fechando”, sonolência intensa, confusão mental, sudorese, entre
outros sintomas. Nesses casos, procure o Pronto-Socorro mais próximo. 

Atenção: alguns sintomas podem até confundir, mas não são de asma.

 

⇒Lembrando que estou dando dicas. Se você tiver alguma dúvida procure um especialista.


Com carinho,

 

Dra. Jackeline P. Carneiro